Elisângela Moura, presidente da Fetag-PI reclama da pouca quantidade médicos peritos no Piauí; assunto será discutido no Grito da Terra Piauí.

Elisângela Moura- presidente da Fetag-PI

Acontece no dia 23 de agosto em Teresina mais uma edição do Grito da Terra Brasil. O evento será uma oportunidade para discutir temas de interesse da classe trabalhadora rural. Um deles, a situação da seca no estado, visto que já falta água em algumas comunidades rurais. De acordo com a presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Piauí-Fetag-PI, Elisângela Moura, os carros-pipas são insuficientes para atender a demanda nos 224 cidades do estado.

Outro tema que entrará na pauta de discussão, adiante Elisângela, será a crítica situação nos postos da Previdência Social espalhados pelo estado. Ouvida pela Eldorado Fm, ela informou que no início desse mês se reuniu com o novo gerente do INSS no Piauí, o senhor Ney Ferraz Júnior, oportunidade em que foram tratadas algumas demandas, uma delas, o acúmulo de processos voltados ao trabalhador rural, que em alguns casos aguardam perícia médica.

Nesse particular, há problemas nos postos de Valença, Picos, São Raimundo Nonato e Oeiras, onde os trabalhadores rurais aguardam um desfecho, mas a situação é bastante complicada.

– Na região de Picos, as perícias médicas estão agendadas para janeiro de 2017 para quem está doente hoje e precisa fazer a perícia urgente.

Como resposta do novo gerente do INSS no Piauí, a Fetag foi informada que o Estado hoje estaria necessitando de pelo menos 100 médicos peritos para agilizar os processos emperrados.

Outro problema surgido nos últimos meses dentro dos postos do INSS diz respeito o fato de alguns médicos peritos terem se afastado da função para disputar as eleições 2016. Uma nova reunião com o gerente do INSS no Piauí está marcado para esta quinta-feira, dia 18 de agosto, oportunidade em que deverão estar presentes além de representantes da Fetag-PI todos os coordenadores de polo.

Por José Loiola Neto