Ainda aguardando aposentadoria, Antonio Bento da Mosqueada agora vendedor de peças produzidas com alumínio explica porque desistiu do ramo de bar. Confira

Seu Antonio Bento é um
comerciante elesbonense que no memento atua vendendo peças produzidas a partir do alumínio, dentre as quais, panelas, cuscuzeiras, colheres, churrasqueiras
etc. Antes de se tornar um vendedor com atuação diária em uma área na Praça
Santa Teresinha, seu Antonio Bento, de 66 anos, morador do bairro de Fátima,
casado com dona Antoninha, também nascida em Mosqueada, pai de quatro filhos,
disse que está satisfeito pelos negócios, apesar de alguns percalços.

Na entrevista ao Painel
Popular no domingo de Carnaval(26/2), ele recordou os tempos de infância em que
ainda aos 7 anos ia para o roçado ajudar o pai a semear milho e mandioca.
– Minha mãe quase todo
dia cobrava que meu pai tinha que me colocar para estudar porque eu tinha que
aprender a ler e escrever, mas eu disse que não podia deixar meu pai sozinho e
então decidir ajudá-lo na roça.
Seu Antonio Bento fala ao Painel Popular

Anos atrás, especialmente
nos anos 1980, na comunidade Mosqueada, onde nasceu, possuiu um bar, mas o
negócio não teve continuidade principalmente por conta de desavenças, inclusive
com clientes que queriam tumultuar o local.

– Cheguei a ter
dificuldades com um sujeito, que deu muito trabalho, queria bagunçar se achava
dono do mundo por causa do dinheiro, tinha fama de não pagar o que deve, mas
ele pagou, e ficou tudo resolvido.

Em
julho, seu Antonio Bento completará 67 anos e ainda não obteve aposentadoria,
segundo ele, porque o INSS cobra por
contribuições, fato é que, o auxílio não tem data para ser concedido.

– Eu achava que quando
completasse 65 anos ficaria tudo resolvido, mas não foi bem assim, sigo
aguardando uma decisão. Estou pagando o pato, uma situação difícil. Apesar de
tudo sou feliz pois tenho uma clientela boa. Deus vai resolver tudo.